Notícias

12 de abril de 2021

Tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica é trabalhado em todos os segmentos do Colégio

Em 2021, a CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil apresentou, no início do ano, a Campanha da Fraternidade Ecumênica com o tema: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef. 2.14).

A CFE 2021 nos convida a avaliarmos e identificarmos quais são os caminhos para superação das polarizações e das violências que marcam o mundo atual, por meio do diálogo amoroso guiados pelo amor de Cristo.

A CFE nas salas de aula

Inspirada no tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica, a disciplina de Ensino Religioso, em parceria com o Depas - Departamento de Evangelização, Pastoral e Ações Sociais, propôs uma série de projetos pedagógicos, muitos deles interdisciplinares, em todos os segmentos em que atua.

Buscando a formação integral dos estudantes, as propostas se desdobram, durante todo o ano, em atividades práticas e teóricas, bate-papo, reflexões e gestos concretos. O Ensino Religioso já iniciou a reflexão nas salas de aula e a seguir, mostraremos um pouco de cada projeto e como foram apresentados aos estudantes. Confira.

As crianças da Educação Infantil conheceram a Campanha da Fraternidade

Para conhecer mais sobre o tema da CFE, foram promovidas atividades lúdicas com as crianças, apresentando a elas a identidade visual da campanha. Um exemplo disso foi a produção de uma ciranda de bonecos, representando a ilustração do cartaz.

Para aprender sobre o diálogo, a hora de falar e também de ouvir, o professor Juarez Garcia propôs a confecção de um telefone com fio.

Compromisso de amor: entra na roda 

Nas aulas do 1º e 2º ano, a professora Jacqueline Crepaldi propôs uma roda de conversa com contações de histórias que motivaram as seguintes reflexões: a importância do diálogo - o caminho que nos leva ao encontro do outro – e, o valor da paz e do respeito para o compromisso de amor.

Jacqueline iniciou a conversa com duas histórias: Meus lápis de cor são só meus, da autora Ruth Rocha e a adaptação do conto árabe Aladdim.

Na história de Ruth Rocha, Lulu, a prima de Miguel, ganha uma linda caixa de lápis de cor, mas prefere brincar sozinha a emprestar seus lápis. Até que todos os lápis caem no chão e ficam sem ponta… Miguel se oferece para apontá-los, e os dois descobrem que brincar juntos é muito mais divertido. Ruth Rocha aborda a amizade, o altruísmo e as primeiras noções de posse e partilha que as crianças dessa faixa etária precisam ter.

Fraternidade – ponte que liga um coração ao outro

No 3º ano, a proposta consiste em apresentar o sentido da palavra fraternidade por meio de gestos vivenciados pelas crianças, bem como o diálogo como ponte que nos liga ao coração das outras pessoas, causas, instituições, a fim de promover um compromisso na construção de um mundo mais humano e fraterno.

Para dar início ao assunto, a professora Janaíne Gonçalves refletiu com os estudantes sobre o significado da palavra diálogo.

Diálogo: o caminho para relações mais amorosas

A professora Vera Neiss, nas aulas de Ensino Religioso do 4º ano, apresentou o tema e o lema da CFE a partir do significado de ser fraterno, a abertura para o diálogo, principalmente a importância do diálogo familiar para uma convivência mais amorosa.

4ano.jpg

Somos todos irmãos na casa comum

O que é ser fraterno? Será que eu tenho atitudes fraternas?

Essas foram algumas das perguntas que o professor Luís Hernandes fez aos estudantes do 5º ano, ao iniciar a sua reflexão sobre a CFE 2021.

Durante o ano, a campanha será desenvolvida, também, a partir da abertura para o diálogo por meio de gestos concretos em prol de algumas instituições que são exemplos de acolhida e de fraternidade. Além disso, será proposta aos alunos uma reflexão a respeito da existência do ser humano como irmãos, parte da casa comum: nossa mãe terra.

Compromisso do amor na ciranda da vida: derrubar muros, construir pontes

Para o 6º ano, a professora Vera Neiss vai desenvolver a ideia de muros X pontes a fim de promover uma reflexão sobre como podemos ser fraternos e estar dispostos para um diálogo verdadeiro.

Para enriquecer o trabalho, nas primeiras aulas, os estudantes percorrerem o histórico das campanhas ao longo dos anos.

6-ano.jpg

E, para ampliar o olhar para o compromisso de amor, as disciplinas Arte, Geografia e Produção de Texto irão propor um trabalho interdisciplinar, que será desenvolvido ao longo do semestre.  

Entra na roda: venha viver o compromisso de amor na ciranda da vida 

A proposta será desenvolvida com os estudantes do 7º ano por meio de reflexões em torno do tema e do lema da CFE, a fim de compreender o sentido da unidade na diversidade para que possam assumir um compromisso de amor verdadeiro.

Haverá também atividades interdisciplinares com Arte, Geografia e Espanhol com intuito de ampliar o olhar para uma sociedade mais justa e fraterna.

Ver, Julgar e Agir: a professora Aline Machado convidou os estudantes a utilizarem esse método para escreverem um texto relacionando-o ao tema da CFE.  

Trilha da convivência 

 

Como aprender a conviver com o diferente? 

A proposta desenvolvida com os estudantes do 8º ano trabalha a ideia de que é preciso aprendermos a conviver com o outro para uma convivência harmoniosa, criando pontes que nos unem em vez de muros que separam e geram indiferença e ódio. 

Na primeiras aulas, a CFE foi apresentada aos estudantes e o professor Gilberto Kraisch motivou os estudantes a identificarem quais são os elementos do cartaz oficial da Campanha.

Laboratório do diálogo – sonho de humanidade 

Qual o sonho de humanidade você tem?

Esta é a pergunta que irá nortear as reflexões sobre a CFE com os estudantes do 9º ano, a partir da ideia do laboratório do diálogo. Serão realizadas pesquisas, trilhas do conhecimento, contação de histórias sobre o que é diverso de nós.

Além disso, professor e alunos refletirão também a respeito de uma comunicação não-violenta em busca da paz.

Quer saber como será o desenrolar de cada projeto? Acompanhe aqui, pelo site do Colégio e também em nossas redes sociais @colegiosantoagostinho.bh

Compartilhe