Notícias

08 de março de 2021

Roda de conversa reflete sobre a CF 2021

A Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021 - CF, com o tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef. 2.14), foi tema de uma roda de conversa online, promovida pelo Depas - Departamento de Evangelização Pastoral e Ações Sociais do Colégio Santo Agostinho, pelo canal do YouTube.

Participaram do bate-papo, mediado pelo assessor pastoral do CsaBH, frei Caio Pereira, OSA, o padre Júlio Lancelotti, pedagogo, presbítero e Vigário Episcopal para o Povo da Rua na Arquidiocese de São Paulo; a professora Patrícia Prado, pedagoga, pós-doutora em Ensino, doutora em Relações Internacionais e mestra em Ciências da Religião pela PUC Minas; o diretor do Colégio Santo Agostinho Clovis Oliveira e os estudantes: Luiza Mendes Simão (7º ano); Valentina (9º ano) e Pedro Borges (2ª série). 

CF-2021-2.png

Que a CF 2021 nos ajude a construir pontes

Após tocar e cantar a “Canção da Unidade”, a agente de pastoral Érika Figueredo Rodrigues, do Depas, fez uma Oração Ecumênica pedindo ao Deus da vida, da justiça e do amor que, através desta CF ecumênica, ajuda-nos a testemunhar a beleza do diálogo como compromisso de amor, criando pontes que unem, ao invés de muros que separam e geram indiferença e ódio.

Neste espírito de oração, de gratidão, de diálogo e de amor, frei Caio deu início à Roda de Conversa, convidando o diretor Clovis Oliveira, a professora Patrícia Prado e o Padre Júlio Lancelotti para “entrarem na roda”.

O diálogo como ferramenta de combate à violência

Clovis iniciou a reflexão lembrando que a primeira palavra da apresentação do texto base da CF 2021, é sonho que se sonha. “Estamos falando aqui de uma utopia que não deve estar distante, que precisa ser construída a cada dia. Diz o texto que o evangelho é a força de Deus que derruba muros. Padre Júlio, há poucos dias, nos deu o exemplo de que precisamos, em alguns momentos, literalmente, pegar uma marreta e derrubar tudo aquilo que nos impede do encontro. O diálogo é colocado, nesta Campanha, como uma grande ferramenta de combate à violência. Em Cristo não há lugar para a violência, para o racismo, para o ódio, não há lugar para a discriminação. Em Cristo só há lugar para a paz”.  

O diretor lembrou também as palavras do Papa Francisco, na encíclica Fratelli tutti, capítulo VI: Diálogo e amizade social, em que ele, diz que para nos encontrarmos e ajudarmos mutualmente, precisamos dialogar.

Somos chamados a mudar tudo o que nos causa morte

Padre Júlio começou a Roda de Conversa observando alguns pontos importantes da Campanha da Fraternidade. Ele explicou que a CF é um instrumento pastoral para o tempo da Quaresma e que a Quaresma é um caminho que nos leva à Páscoa, centro da nossa fé. Na Páscoa, celebramos a vida do Senhor ressuscitado, que se perpetua e está presente na vida das nossas comunidades.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica, promovida pelo Conic – Conselho Nacional das Igrejas Cristãs, está sendo realizada este ano pela quinta vez. Para Padre Júlio, é muito importante, no entanto, que haja diálogo também com aqueles que não têm religião porque a fraternidade não existe somente no meio dos cristãos. Mas esse diálogo não deve ser somente durante a Campanha, ele deve ser pra vida toda.  

“Nesse tempo, somos chamamos à conversão, que significa mudar, sair de tudo aquilo que nos causa morte, como a desigualdade. Há desigualdade em várias questões: econômicas, sociais, política, de gênero. A CF nos chama a atenção para tudo isso, colocando foco em algumas dessas questões, porque nós não conseguimos fazer todas as mudanças ao mesmo tempo”.

O diálogo nos faz humanos

A professora Patrícia Prado reforçou a importância do ecumenismo e do diálogo para que possamos aprender, de fato, a ser humanos. Para ela, no diálogo somos interpelados a compreender quem nós somos. “É o outro que me faz descobrir quem eu sou...  Na religião, isso se torna ainda mais belo porque eu tenho a oportunidade de ver o meu sagrado a partir do outro. Quando eu olho, por exemplo, para o padre Júlio, eu vejo Deus se manifestando através de uma identidade católica. Assim acontece também quando olho para outros cristãos, de matriz protestante e para tantos outros... o diálogo, por mais duro que pareça ser, é uma oportunidade para a gente se vê”, observou a professora.

Os alunos Luiza, Valentina e Pedro participaram da Roda de Conversa, apresentando perguntas relacionadas ao tema da Campanha da Fraternidade 2021 ao padre Júlio Lancelotti e à professora Patrícia Prado.

A Roda de Conversa sobre a CF 2021 pode ser vista, na íntegra, no vídeo abaixo:

Por que nossos estudantes refletem sobre os temas da CF?

Buscando a formação integral dos estudantes, todos os anos, o Depas propõe uma reflexão sobre o tema da Campanha da Fraternidade, promovida pela  CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, no período da Quaresma.

A Campanha tem como proposta despertar a solidariedade dos seus fiéis e da sociedade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução.

A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação.

São objetivos da Campanha:

  • Educar para a vida em fraternidade, com base na justiça e no amor.
  • Renovar a consciência da responsabilidade de todos na promoção humana, tendo em vista uma sociedade mais justa e solidária.
Compartilhe