Notícias

05 de março de 2021

Nossos estudantes recebem a Bênção de Envio

Um pedido especial a Deus para que o ano de 2021 seja de muito amor e esperança!

Hoje vamos desejar o bem. Sem olhar a quem. Acabar com a solidão. No ato de estender a mão. Peça tudo o que você quiser. Acredite na sua fé. Paz, saúde, vigor, sucesso. Alegria, esperança, amor... Quando não souber o que pedir. Peça felicidade. Quando não souber o que doar. Doe sua metade. E depois vai sentir a energia. E satisfação de ver nascer um novo dia...
(Trechos da música Peça Felicidade – Banda Melim)

              
A música “Peça felicidade” foi escolhida como tema de inspiração para a Benção de Envio dos estudantes da Educação Infantil ao Ensino Médio, realizada pelo Departamento de Evangelização Pastoral e Ações Sociais - Depas e pelos professores de Ensino Religioso, na plataforma Teams.

Foi um momento especial de espiritualidade que buscou, sobretudo, dar significado e sentido ao aprendizado dos nossos estudantes, não só acadêmico, mas o aprendizado para a vida, aprendizado de como fazer do mundo em que vivemos um lugar de amor, amizade, fraternidade e respeito.

Quem recebe uma bênção, recebe um bem

A palavra bênção pode ser empregada no sentido de “aprovação” ou “consentimento”, como também para se referir a um “presente recebido”, um “favor”, uma “dádiva”.

Na Bíblia (Antigo Testamento) a palavra bênção traduzida do hebraico berakhak, significa fonte de bem, prosperidade, louvor de Deus, presente e acordo de paz. Já no Novo Testamento, a palavra bênção é usada para traduzir o grego eulogia, que significa “louvor”, “gratidão”, “consagração”, “benefício”.

Peça felicidade...

Assista, abaixo, o vídeo da música “Peça felicidade”, interpretada pela Agente de Pastoral Érika Figueredo Rodrigues:

Quando não souber o que pedir...

A gente sabe sempre o que pedir, disse a professora de Ensino Religioso, Aline Machado, em sua reflexão com os estudantes de 6º e  7º anos: “a gente sempre pede...  sem saber o quê, pra quê, como... a gente pede por necessidade... pede pra chamar a atenção... a atenção pra gente. A atenção “da gente”. Às vezes o pedido se torna exigência. Às vezes o pedido se torna clamor. Mas o pedido sempre fala da gente, de mim, de você.... do mais oculto ou do mais evidente, do mais profundo ou do mais superficial. Parte de nós. Nós. Parte de nós, como semente, e sai; lançado é; alcançando os terrenos que de nós se aproximam. Nosso pedido sai, nosso pedido cai... bate... ecoa... apregoa a nossa existência... pois ‘é com o coração que se pede’. (Santo Agostinho).

Quando não souber o que doar...

São tantas coisas, não é mesmo?... A angústia nos vem, quando precisamos escolher, e temos, diante de nós, uma diversidade à mesa... O que doar? Não sei. Sou tantos/tantas, tenho tanto, sou farto, sou farta... e no meio de tanta fartura, de tanta belezura, de tantas matizes, bendizendo a mim, vendo-me partícula divina a iluminar o meu próprio caminho, tornando-me sonho concretizado... o que doar? Doar-me!... Sem doer-me... Doar-me, dar-me... Vejo que algo sai de mim, e eu?! Não diminuo! Cresço! Agiganto-me...

“Peça felicidade. Doe sua metade. Você vai sentir a energia e satisfação de ver nascer um novo dia’. Dentro de você. Ao seu redor. Para os outros. Para você. Por meio de você”.

Hoje vamos desejar o bem?! Sem olhar a quem?!

A equipe do Depas foi à capela do Colégio para falar aos estudantes de 8º e 9º anos. Cada um deixou um recadinho. Em seguida, a Agente de Pastoral Érika Figueredo Rodrigues, que também interpretou a música “Peça Felicidade”, fez a seguinte reflexão:

“Como desejar sem olhar? Pois o que os olhos não veem o coração não sente! Como vou sentir, desejar o bem sem olhar? Fazer o bem sem olhar a quem porque o bem sempre faz bem. A quem o faz, a quem o recebe. ‘Como a flor que perfuma frutos’. (Santo Agostinho). Você é fonte que jorra, saciando a sede dos mais variados sedentos. Tá no sangue, tá na veia. Não há como negar. Deixa fluir, deixa correr, deixa pulsar.

Vamos acabar com a solidão...

Pois acabar com a solidão é possível, também, estendendo a mão. A quem?!... Às plantas, ao céu, ao chão, a quem passa, a quem atravessa nossa vida. Ser rico e ou famoso não nos isenta da solidão. Os relacionamentos são um aporte sem precedentes para a nossa saúde integral e longevidade. Estender a mão é exercitar-se, colocar-se em movimento... como o vento que sopra onde quer... Mão e coração estender. Na mão e no coração de Deus. Por ele, n’Ele, em nós. A nós Ele estende Sua mão. N’Ele não há solidão. Estenda a mão e surpreenda-se...”.

Peça tudo o que você quiser...

A reflexão com os estudantes do Ensino Médio também foi realizada na capela. A agente de Pastoral Érika Figueredo Rodrigues falou sobre o que é pedir e acreditar na fé. Confira, no vídeo abaixo:

  

Que Deus, com todo o seu amor e toda a sua graça, nos abençõe neste ano!

Frei-Caio.png

A Bênção de Envio foi concedida aos estudantes pelo frei Caio Felipe de Lima Pereira, OSA. Frei Caio convidou os alunos a juntar as mãos para rezarem juntos e pedir a Deus que o ano de 2021 seja repleto de esperança e que, apesar de todas e quaisquer situações, nós possamos estar com o coração aquecido pelo mor de Deus, da nossa família e pelo amor de todas as pessoas que estão conosco. Pediu ainda para todas as pessoas que estão sofrendo nesse momento: “Que nós consigamos, com o nosso amor, transmitir ao mundo amor e esperança.

Pedimos a Deus também que nesse ano nós, nossas famílias, nossos amigos, nossos professores, toda a equipe do nosso Colégio possamos estar envolvidos pelo amor e pela inquietude que nos ensinou Santo Agostinho.

Que Deus, com todo o seu amor e toda a sua graça, nos abençoe neste ano.

Sigamos aquecendo o nosso coração, abrindo nossas câmeras e semeando nossa esperança!”

No encerramento da Bênção de Envio, os estudantes ouviram a música “O que é, o que é”, de Gonzaguinha, interpretada por Elis Cristhine:

Em seguida, foi apresentado o Hino do Colégio Santo Agostinho. Ouça você também:

 

Compartilhe