Ir para o conteúdo

História

Compartilhe

Primeiro edifício que acolheu o Colégio Santo Agostinho, em 1934, na esquina de Av. Olegário Maciel e Rua TupisPrimeiro de março de 1934. Os padres Agostinianos, recém chegados da Espanha, fundam o Colégio Santo Agostinho, em Belo Horizonte. Na época, a jovem capital mineira contava com 170 mil habitantes, que viviam a pacata vida de um ambiente bucólico do início do século.

O primeiro passo foi dado pelo padre Carlos Vicuña, com o aluguel das primeiras instalações, situadas na esquina da Avenida Olegário Maciel (então, Av. São Francisco) com Rua Tupis. No dia 28 de agosto de 1935, era colocada a pedra fundamental do novo prédio, num terreno com área de 14.000 m2, e, no ano seguinte, começavam as obras de construção do Colégio, no endereço atual, na esquina da Av. Amazonas e ruas Aimorés e Araguari. A inauguração se deu no dia 28 de março de 1936 e foi destaque na imprensa na época. Acréscimos e novos prédios foram sendo feitos, inclusive a Igreja da Paróquia Nossa Senhora da Consolação e Correia, enquanto, em torno do colégio, foi crescendo um bairro elegante, que recebeu o nome de Santo Agostinho.

Ao longo das décadas seguintes, o Colégio Santo Agostinho formou gerações e se consolidou como uma das mais importantes instituições educacionais do País. Por suas salas de aula passaram importantes nomes das cenas política, social e cultural, que se destacaram na construção da história de Minas e do Brasil. Atualmente, cerca de 3500 alunos estudam no Santo Agostinho de Belo Horizonte, da Educação Infantil ao Ensino Médio.

O Colégio Santo Agostinho, em 1941Ampliando horizontes: mais duas unidades

Em 1976, foi oferecido aos padres agostinianos um terreno de 6 mil m2 para que uma nova unidade do Colégio fosse construído no bairro Jardim Riacho das Pedras, em Contagem. Em 1977, a nova unidade começou a funcionar e, hoje, atende a cerca de 1700 alunos.

Anos mais tarde, em 2004, sempre atento aos desafios e oportunidades do futuro, o Santo Agostinho formalizou a compra de um terreno no Vale dos Cristais, em Nova Lima, de 15 mil m2, para a construção de mais uma unidade. Inaugurado em 2007, hoje, o Colégio atende a cerca de 1500 alunos.

Filantropia

Além disso, o Colégio Santo Agostinho, por meio da mantenedora Sociedade Inteligência e Coração (SIC) mantém a Escola Profissionalizante Santo Agostinho, no Barreiro, que oferece gratuitamente 23 cursos técnicos a 1500 jovens. Ainda dentro da filantropia da SIC, é oferecida a Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Colégio Frei Carlos Vicuña, que funciona junto ao Colégio Santo Agostinho de Contagem, e na Escola Profissionalizante, no Barreiro. Juntas, as duas unidades do EJA oferecem ensino e material didático gratuitos a cerca de 700 alunos, semestralmente.