Notícias

15 de dezembro de 2018

Presépio apresenta o Menino-Deus na manjedoura dos imigrantes

Imigrantes em busca de paz, de oportunidades de um recomeço, de uma pátria-mãe gentil que os acolha. É esta a mensagem do presépio natalino da Paróquia Nossa Senhora da Consolação e Correia (bairro Santo Agostinho), concebido pelo artista Marcos Bonfim, professor de Arte do Colégio Santo Agostinho – BH. 

Em uma reflexão sobre nossos irmãos que buscam a vida com mais dignidade, as imagens mostram os muitos imigrantes venezuelanos que adentram o território brasileiro; os milhares de hondurenhos que atravessaram o México rumo às terras norte-americanas; os milhares de sírios em fuga desesperada da guerra e da violência, bem como, uma incômoda mas necessária reflexão sobre as crianças do Iêmen, cerca de 85.000, que faleceram em decorrência da fome, nos últimos três anos, segundo dados da Ong Save the Children.

Para o professor, “a dura realidade do mundo atual nos leva a ressignificar, em tantas situações da vida, um profundo sentido do nascimento de Jesus Cristo. O Menino-Deus troca a manjedoura pelo bote inflável, numa travessia turbulenta em meio a um mar de muros intolerantes, imigra em cada um dos milhares de ‘Josés e Marias’ que vagam à procura de oportunidades e clamam pelo pão nosso de cada dia!” 

 Segundo Marcos Bonfim, o presépio foi construído a pedido do pároco, Frei Luiz Antônio Pinheiro, que também sugeriu o tema a ser abordado. Na confecção, o artista contou com a colaboração do Toninho e do Marconi, que trabalham no setor de manutenção do Colégio.

 “Celebrar o Natal hoje é acolher Jesus em cada sofredor...”

“Desde que assumi a paróquia, em 2015, Marcos Bonfim e Marly Galetti, coordenadora do Departamento de Arte e Cultura (Deac), têm colaborado conosco na confecção do presépio, trazendo, através da arte, uma mensagem de atualidade acerca do Natal. Jesus nasceu num estábulo, na gruta de Belém, cercado de animais e de Maria e José. Jesus continua hoje a nascer em muitas situações desumanas. A Palavra eterna de Deus se encarna nos grotões e angústias da humanidade. Celebrar o Natal hoje é acolher Jesus em cada sofredor, migrante, desafortunado”. 

Frei Luiz Antônio Pinheiro, OSA

Visite o presépio e reflita sobre o verdadeiro sentido do Natal. (Rua Bernardo Guimarães, 2700 -  Bairro Santo Agostinho)

Compartilhe