Notícias

27 de novembro de 2019

Nova gravação do Hino do Colégio ressalta o valor da nossa história

Na comemoração dos 85 anos de fundação do Colégio Santo Agostinho – Belo Horizonte, realizamos uma nova gravação do Hino do Colégio, criado na década de 1960, pelo professor Roberto Bacil, juntamente com o Coral Pequenos Cantores de Belo Horizonte.

A nova gravação contou com a participação de alunos do 3º ano do Ensino Fundamental à 1ª série do Ensino Médio, acompanhados pela Orquestra Stradivarius, que é formada por alunos, professores e ex-alunos do Colégio Santo Agostinho – BH.

Para acompanhar a nova gravação do Hino, foi produzido também um clipe, que mostra cenas do cotidiano de uma escola viva, bacana e feliz, conforme afirma a letra do Hino. Além dos alunos cantores e da Orquestra, participaram do clipe o aluno Pedro Henrique Ferreira e os ex-alunos Leonardo Macedo e Cláudio Luiz de Morais, que fizeram parte do coral do Colégio nos anos 60.

O lançamento da nova gravação do Hino, juntamente com a exibição do clipe, foi realizado, no dia 20 de novembro, no Teatro Santo Agostinho, com a participação de alunos, pais, professores e convidados.

85 anos incentivando o esporte, a arte e a cultura

No final dos anos 20, quando os freis agostinianos chegaram a Belo Horizonte, nossa cidade tinha apenas 37 anos e estava em franca expansão.

Como mais um instrumento norteador dos ideais das crianças e jovens da Capital, surge, em 1934, o Colégio Santo Agostinho, que se tornaria um verdadeiro centro de formação do caráter, do conhecimento e da cultura de milhares de crianças e jovens, que viriam a ser os futuros formadores das famílias não só do bairro Santo Agostinho, mas também de toda a cidade e até de Minas Gerais.

Ao longo dos anos, o Colégio criou vários projetos, verdadeiros incentivadores da ciência, do esporte, da arte e da cultura em sua história. Como, por exemplo, o Coral dos Pequenos Cantores de Belo Horizonte, em 1968; a Feira de Ciências, nas décadas de 1970 e 1980; o Grupo Sarandeiros, a Orquestra Stradivarius e o Grupo de Teatro, nos anos 2000; e, em nossos dias, a ExpoAgostiniana, a Bienal do Livro e tantas outras iniciativas.

Nos dias de hoje, a Orquestra Stradivarius e o Grupo Sarandeiros apresentam um pouco da riqueza artística e cultural do nosso Colégio.

Assim, a noite de lançamento da nova gravação do Hino do Colégio, contou também com a apresentação especial do Sarandeiros, que mostrou danças do Congado para ressaltar o Dia 20 de novembro, data em que é celebrado o “Dia da Consciência Negra”, em memória a Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, que lutou pela libertação de seu povo contra o sistema escravista. O congado foi uma fonte de fé e esperança para o povo negro.

A Orquestra Stradivarius também abrilhantou a cerimônia com a apresentação de duas músicas: Trenzinho do Caipira, composição de Villa Lobos, e Garota de Ipanema, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

Em seguida, o público presenciou um dos momentos mais esperados da noite: a exibição do clipe e a apresentação do Hino, ao vivo, pelos alunos cantores e pela Orquestra Stradivarius.

Homenagem aos que fazem parte da nossa história

No final da cerimônia, o diretor Clovis Oliveira chamou ao palco a coordenadora do Departamento de Arte e Cultura – DEAC, Marly Galletti para lhe entregar uma placa em agradecimento aos muitos anos de trabalho, empenho e dedicação dela ao Colégio. Marly é a pessoa responsável pela implantação dos programas de arte e cultura no Colégio e foi uma das responsáveis pela nova gravação do hino.

Receberam homenagem, ainda, o professor José Bruña Alonso, que foi diretor do Colégio Santo Agostinho – BH por mais de 20 anos e o professor Eládio Alvarez Fernandez, ex-diretor do Colégio Santo Agostinho -  Contagem.

IMG_6120.jpg

Sentimentos de alegria, gratidão e emoção tomaram conta do palco, marcando o encerramento da cerimônia.

Para ver mais fotos, acesse o nosso flickr. As belas imagens foram registradas por nosso aluno, Thales Bah: https://flic.kr/s/aHsmJEct7x

Compartilhe