Notícias

17 de abril de 2018

Colégio faz reunião comunitária para debater segurança pública no bairro

Pais, colaboradores do Colégio Santo Agostinho – BH, representantes da Amagost – Associação de Moradores do Bairro Santo Agostinho e policiais da 5ª Companhia do Batalhão da Polícia Militar realizaram uma reunião comunitária, na noite do dia 16 de abril, no Teatro Santo Agostinho, para discutir sobre a segurança pública na região.

Na abertura da reunião, convocada pelo Colégio devido a algumas ocorrências de assalto e tentativas de assalto nas últimas semanas nas suas imediações, o diretor Clovis Oliveira afirmou que o Santo Agostinho está e sempre esteve atento a esta questão, sendo pioneiro na colocação de agentes de segurança nas esquinas que circundam o Colégio.

Em seguida, o Major Vanderlan Rodrigues, que comanda a 5ª Companhia do Batalhão da Polícia Militar, responsável pela segurança nos bairros Santo Agostinho e Barro Preto, apresentou uma síntese do trabalho da polícia, apontando forças e fraquezas.  Em sua reflexão, ele observou que os agentes de segurança nas esquinas do Colégio têm como função monitorar e auxiliar com informações, mas não têm poder de polícia. “ Segurança pública é direito de todos e responsabilidade do Estado, isto é, atribuição da polícia”.

Segundo o major, além das viaturas e das motos que fazem rondas na região, no dia 13 de abril, a 5ª Companhia recebeu reforço de dezenove policiais militares, que estão realizando o policiamento a pé. Há planos também para implantação do policiamento por bicicletas. “O importante é que todos saibam que existem problemas, mas existem também pessoas trabalhando para coibir esses problemas”, afirmou.  

No final, alguns pais se manifestaram pedindo, sobretudo, orientações de como agir diante de situações de ameaça ou roubo. O Major disse que o primeiro passo deve ser ligar, imediatamente, para o 190, para que a Polícia possa tomar as providências necessárias. Outra medida importante é comunicar a escola.

Ao encerrar a reunião, o diretor Clovis reafirmou a importância do debate realizado, dizendo que essa discussão entre pais, polícia e escola deverá continuar, agora, com um grupo menor, em busca de mais segurança para todos.   

 

Compartilhe