Notícias

04 de setembro de 2018

Bienal do Livro 2018 mostra as muitas MINAS e os diversos GERAIS!

A imensa riqueza cultural, artística e literária do Estado de Minas Gerais pode ser vista por alunos, professores, funcionários, pais e convidados especiais durante a Bienal do Livro realizada no Colégio Santo Agostinho –BH, no período de 27 a 31 de agosto, com o tema As muitas MINAS e os diversos GERAIS.

Além dos trabalhos realizados pelos alunos, sob a coordenação dos professores da Educação Infantil ao Ensino Médio, a Bienal mostrou exposições, feiras, espetáculos musicais e teatrais, intervenções artísticas, palestras com diversos autores mineiros, entre outros. Da abertura ao encerramento, a beleza da arte e da cultura de Minas contagiou a todos que passaram pelo Colégio durante a Bienal.

A abertura, realizada nos turnos da manhã e da tarde, com a participação de todos os alunos, contou com as apresentações da Banda Musical da Polícia Militar de Minas Gerais e do Grupo Sarandeiros. Ao dar boas-vindas aos presentes, o diretor Clovis Oliveira ressaltou a importância da Bienal, como um projeto que resgata a cultura, a literatura e a arte, se entrelaçando com muitas outras áreas, dentro e fora da escola, por meio das muitas contribuições recebidas por meios dos autores, pesquisadores e artistas participantes. “Que todos possamos prestar atenção em cada detalhe, aproveitando ao máximo toda riqueza dessa Bienal!”.

As exposições

Bienal_exposicoes.jpg

Você é o que você diz - Retratos de mestres mineiros

Alunos do 7º ano criaram as imagens de grandes mestres com os pensamentos dos próprios homenageados.

“A mineiridade não brota em qualquer mineiro, não. Ela é o resultado de toda uma trajetória de quem curtiu com sabedoria todos os estágios de sua mineirice. E, quando ela chega, vixe Maria! Não tem para ninguém! O mineiro em estágio de mineiridade é algo que não se define. Ele tem a simplicidade do matuto, mas a sabedoria de um mestre”.

Esculturas de ferro

Esculturas do artista plástico mineiro Leandro Gabriel feitas com rejeitos metálicos descartados de linhas de produção de indústrias.

“Durante a execução de uma peça as formas vêm à cabeça antes do tema e se moldam e adaptam durante o seu feitio. O ferro é sempre minha ideia primeira e é dele que meu pensamento se torna concreto”, Leandro Gabriel.

Paragens – Fotografias do jornalista Ricardo Soares

A fotos foram feitas durante idas e vindas pelos caminhos, pelas águas e pelas montanhas de Minas. Foram 70 dias de viagem e cerca de 20 mil km percorridos por todas as regiões do Estado. A exposição é um convite à contemplação, uma pausa no corre-corre da cidade. Uma homenagem a Minas Gerais e às pessoas que contam e escrevem a história do Estado.

Histórias Bordadas - O Barreiro contado pelas bordadeiras da Oficina do Saber

A Oficina do Saber é um projeto que atende jovens, adultos e idosos em situação de vulnerabilidade pessoal e social, e oferece atividades de capacitação em informática, corte e costura, além do curso “Cidadania com Arte”, em que os alunos aprendem técnicas de artesanato, entre elas, o bordado. 

Pirotecnias, Murilo Rubião 100 anos e Quase Roteiros

Painéis em homenagem ao centenário de nascimento do contista mineiro Murilo Rubião, ocorrido em 2016.

“Sou um sujeito que acredita no que está além da rotina. Nunca me espanto com o sobrenatural, com o mágico. E isso tudo aliado a uma sedução profunda pelo sonho, pela atmosfera onírica das coisas. Quem não acredita no mistério não faz literatura fantástica”, Murilo Rubião, 1986.

Um verso a cada passo 

Ilustrações do livro: Um verso a cada passo, da escritora e ilustradora Ângela Leite de Souza.

Pluralidade e tradição: a arte do Vale do Jequitinhonha

Esculturas e bordados do acervo particular da programadora cultural da UFMG, Terezinha Furiati.

Peças que são verdadeiras obras de arte, de autoria de alguns mestres de ofício e seus seguidores, entre eles, Mestre Ulisses, conhecido como cronista da cerâmica do Vale do Jequitinhonha que, em sua criação, representa pessoas reais, colocando nas peças toda sua expressão.

Mineiras Imagens

Obras de arte criadas pelos artistas mineiros Willi de Carvalho e Clélia Lemos.

“Um dos temas centrais da minha obra, as festas populares mineiras, religiosas, catopés, caboclinhos, marujadas, reinado e congada, fazem parte de quase tudo que eu faço. Símbolos como o estandarte, peça importante em tais festas e os espirais, representando a lembrança barroca das cidades históricas de Minas, também são presença forte em minhas peças”, Willi de Carvalho. 

Petecas de Minas, do Brasil e do Mundo

Coleção de petecas do professor de Educação Física, Renato Machado. A peteca tem denominações e formas de jogar diferentes. Todas possuem detalhes próprios em suas características de confecção, que lhes conferem a identidade de cada tribo ou povo.

A produção dos nossos alunos

Bienal_exposicoes_4.jpg

A pesquisa e a produção artística e cultural dos nossos alunos sobre Minas Gerais resultaram em centenas de trabalhos de todas as disciplinas que ficara expostos por todo o Colégio, durante a semana, como por exemplo, instalações artísticas, esculturas, objetos produzidos com materiais reaproveitáveis, varais de poemas, livros de receitas da culinária mineira, mosaicos entre outros.

As feiras

Bienal_exposicoes_2.jpg

Gastronomia

Uma pequena mostra da riqueza culinária de Minas, com produtos à base de jabuticaba, banana, ora-pro-nobis, pastéis, feijão tropeiro, feijoada, biscoitos, broas e muito mais!

Artesanato

Palma barroca, renda turca de bicos, bordados, estandartes, tecelagem, crochê, fuxico, cerâmica, artigos sustentáveis feitos com materiais reutilizáveis, entre outros.

Livros

Uma grande variedade de livros pode ser vista e adquirida por nossos alunos nos estandes montados por diversas editoras.

Palestras 

Durante a Bienal, os estudantes participaram de palestras, abordando temas como: “Grafite”, com Nilo Zack e “Grafite: processo criativo”, com Ataíde Miranda; e “Histórias e Sabenças do Jequitinhonha”, com Terezinha Furiati –UFMG.

Musical

“Coração palpita”, com Marina Ferreira Duca. Apresentação para as turmas do 2º e do 3º anos do Ensino Fundamental I. 

Espetáculos e apresentações  

No Teatro Santo Agostinho

“Trem danado de bão!” e “No aconchego das histórias”, com Sandra Lane e Vilmar de Oliveira; “Moda de viola e cordel”, com Vicente Faul (repentista), Olegário Alfredo (cordelista) e a dupla Zalico e Zalinho;  e “Canastra de histórias”, com Bárbara Amaral. O conto “A terceira margem do rio”, de Guimarães Rosa, publicado no livro Primeiras estórias, lançado em 1962, foi apresentado pelos alunos da 1ª série do EM. 

No pátio

A fanfarra da Escola Municipal Aníbal Machado e o grupo de congado, de Sabará, mostraram a cultura, o folclore e a religiosidade de Minas. 
Também no pátio, o Desfile de moda com roupas, de produtos reciclados, criadas pelos alunos da Escola Dom Cirilo de Paula Freitas, de Raposos, encantou a todos.

Na sala de aula

Poetas e escritores mineiros – A vida e a obra de Carlos Drummond de Andrade e Guimarães Rosa foram temas das apresentações, realizadas pelos alunos de 8º ano. Por meio de poemas e músicas, os alunos contextualizaram, com propriedade e desenvoltura, a história de vida e a produção literária dos homenageados.

Religiosidade

Bienal_exposicoes_5.jpg

Coroação de Maria

Alunos de diversos segmentos se reuniram em volta do palco, montado no pátio da escola, para assistirem as crianças do 2º e 3º anos, do EF, Coroar Maria, costume religioso da cultura mineira. 

Religião e música

Os alunos Breno Luiz e Marina Diniz, do 5º ano, acompanhados pelas professoras Érika Figueredo e Carla Jaber cantaram as músicas “Calix Bento” e “Senhora Santana”.

Intervenções

Realejo Mensagens 

Recebemos a visita do Realejo, um passarinho que, ao receber um carinho, distribuía mensagens com frases de autores famosos, como Carlos Drummond de Andrade e Guimarães Rosa. A intervenção foi realizada no pátio, sala dos professores e refeitório.

Arautos da poesia

O grupo de intervenção poética, de Sabará, distribuiu poemas de autores mineiros como Carlos Drummond, Sérgio Caparelli, Neuza Sorrenti, Silas da Fonseca, Sheila Emília e Adélia Prado.

Poesia de Paulinho Pedra Azul

Crianças da Educação Infantil fizeram intervenções relâmpago pelo Colégio, visitando, entre outras, as salas da diretoria e da coordenação pedagógica, onde declamaram poemas e cantaram músicas do mineiro Paulinho Pedra Azul.

Clube da Esquina

Inspirou a apresentação que os alunos da 2ª série do EM realizaram para os colegas da 1ª série do EM. Na intervenção, eles contaram a história do grupo mineiro, encenaram e cantaram algumas de suas músicas.

Bienal_exposicoes_3.jpg

Encontro com autores

Rubem Filho falou aos alunos do 2º ano do EF sobre o livro de sua autoria “Pretinha das Neves e os sete Gigantes”.

Ana Carolina Neves se encontrou com as turmas do 6º ano do EF para falar sobre o livro “Espia das montanhas”. 

Além dos encontros no Teatro Santo Agostinho, outros autores participaram da Bienal, conversando com os alunos nas bibliotecas Gregório Mendel e Monteiro Lobato. Entre eles, a autora Rita Lages, do livro “Palavras Brincantes”  e o contador de histórias, Pierre André.

Oficinas 

Durante a Bienal, nossos alunos puderam também participar de Oficinas de peteca, com o professor Renato Machado, de biscoitos, com a professora Sania Araújo, de boneca namoradeira, com a convidada Andreia da Conceição, entre outras.

Encerramento

A Bienal do livro 2018 foi encerrada ao som de uma lindaseresta com o grupo “Sonhos em Serenata”, bem ao estilo mineiro.

Confira aqui o álbum de fotos da Bienal 2018.

Compartilhe