Notícias

15 de maio de 2019

9º ano A: uma reflexão sobre consumismo acelerado e desequilíbrio ambiental

No desenvolvimento do projeto “A Cidade e a Sustentabilidade nas Relações de Pertencimento”, a Turma A realizou, no dia 14 de maio, Trabalho de Campo na ASMARE - Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Materiais Reaproveitáveis de Belo Horizonte.

O trabalho teve como objetivo a conscientização dos alunos sobre a produção, o acúmulo e o descarte de resíduos em geral, além de oferecer à turma a oportunidade de uma reflexão individual e coletiva sobre o consumismo acelerado, gerador de desequilíbrio ambiental.

 IMG-20190514-WA0066.jpg   IMG-20190514-WA0073.jpg    IMG-20190514-WA0076.jpg

Vidas transformadas

A Asmare, fundada em 1º de maio de 1990, modificou definitivamente a vida dos catadores de papel de Belo Horizonte. Maria das Graças Marçal, conhecida como dona Geralda, uma das fundadoras da Associação relata que, em meados da década de 1980, os catadores sofriam forte repressão policial e eram frequentemente confundidos com marginais. A aproximação da Pastoral de Rua, da Arquidiocese de BH, foi o que possibilitou que eles se organizassem e ganhassem o respeito da sociedade.

Cerca de 520 toneladas de resíduos recicláveis são recolhidas a cada mês em Belo Horizonte, segundo estimativas da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU). Parte desse material é levado para os galpões de associações – além da Asmare, existem mais seis, de acordo com a SLU – onde homens e mulheres de diversas idades trabalham na separação dos itens.

O trabalho da ASMARE não se resume só à destinação adequada dos resíduos sólidos coletados ou ao seu papel social, ambiental e econômico. A Associação também proporciona mudança de vida para milhares de pessoas que necessitam dela para sobreviver.

 

Compartilhe